BVMF: Vendas Abril 2015 – VALE5

valeJá tinha interrompido os aportes na Vale desde o final de 2013 quando ela fechou o ultimo trimestre em prejuízo, era um não recorrente e eu pensei que isso não iria se repetir, também era um prejuízo que não tinha efeito caixa pois foi apenas contábil, passou mais dois trimestres em 2014 e novos prejuízos, fui dando mais corda na esperança de que as coisas melhorariam, daí saiu esse novo resultado e mais um prejuízo, resolvi depois disso vender as minha posição na Vale.

Fiquei refletindo depois e pensando porque não vendi quando a empresa apresentou o primeiro prejuízo, um dos critérios que me faz sair de uma empresa é quando a mesma apresenta prejuízos, independente do motivo esse deveria ser o critério máximo. Pensando melhor comecei a perceber que não estava agindo corretamente, já não era mais um investidor na Vale, mas sim um torcedor.

A empresa pode dar a volta por cima e retomar o caminho dos lucros, mas a questão pra mim não é mais essa, mas o fato de não ter seguido minha estratégia que havia definido anteriormente, é aquele momento que a emoção toma conta.

Venda realizada em 30 Abril de 2015

Venda de abril de 2015 na bolsa de São Paulo
Empresa Código Qtde
VALE SA  VALE5  200

Já atualizei a minha carteira com essa venda.

Acredito que a Vale poderia estar suportando melhor essa crise se a administração anterior tivesse feito ações corretas quando a bolha de preço do minério de ferro começou a inflar, na época o CEO Roger Agnelli deveria ter focado em projetos como S11D que hoje é a chave para manter a Vale operacionalmente competitiva no futuro e que visa reduzir seus custos de forma considerável, ao invés disso Agnelli saiu comprando um monte de coisa que não tinha nada a ver com o Core Business com isso foi torrando caixa e hoje a empresa tem que se desfazer desses ativos muitos com baixas contábeis expressivas nos balanços.

Quando coloquei a Vale na carteira eu sabia muito bem que era uma empresa cíclica e que como todas as empresas desse tipo podem ter momentos de grandes lucros e momentos de quedas expressivas nas receitas. Na época tinha uma mentalidade de investimento e hoje tenho outra totalmente diferença, as coisas vão mudando ao longo do caminho você vai percebendo no que foi errando e vai aprendendo novas coisas e suas convicções vão mudando.

O problema de uma empresa cíclica é que as vezes os ciclos de commodities podem durar anos lateralizados, veja abaixo um gráfico histórico de preço do minério de ferro que é o principal produto da Vale:

minerio ferro

Na imagem acima podemos ver que o ultimo ciclo durou quase 20 anos com o preço lateralizado, daí fiquei pensando se seria viável ficar numa empresa que pode correr o risco de ficar 20 anos sem crescer, não seria melhor pegar esse dinheiro que tenho hoje e colocar numa empresa que cresça durante todo esse período.

Como um investidor que visa alcançar a independência financeira através dos dividendos e deles tirar uma fonte de renda passiva, não posso também me dar ao luxo de ter uma empresa na carteira que possa ficar com os lucros “estagnados” ou que tenha os dividendos cortados por conta de uma queda no preço de venda do seu principal produto.

(Visitado 22 vezes, 1 visitas hoje)